Histórico

Durante anos o agrônomo e fenomenólogo Manfred v. Osterroht pesquisou as paisagens brasileiras, constatando o óbvio: ninguém que produz alimentos planta árvores, nem mesmo os produtores mais ecológicos. Então passou a buscar um caminho para motivar os produtores a plantarem árvores com dupla função: agroambiental e econômica. Disto surgiu uma proposta, que foi apresentada a uma ONG dinamarquesa, a AmazonasSelva, cujo apoio financeiro possibilitou a constituição social e legal da Associação do RdA.

De 2010 em diante esta proposta foi apresentada e discutida em diversos eventos, atraindo muitos voluntários, até culminar na realização de duas oficinas, no segundo semestre de 2011. Nelas, o que era o resultado de uma pesquisa, ganhou um novo corpo, transformou-se numa proposta organizada. Foram elaborados a missão, os valores e os princípios, bem como os objetivos, as estratégias e alguns planos de ação. Diante da crônica falta de recursos, decidimos buscar abrigo institucional, mas logo vimos que este não era caminho: precisávamos de total liberdade de ação. Então iniciamos um processo de captação de “seed money”, o tão desejado dinheiro-semente que nos possibilitaria constituir um CNPJ, para materializar nosso trabalho.

Em 2014 finalmente conseguimos uma doação que nos possibilitou começar a trabalhar. Fizemos um levantamento completo, um diagnóstico de campo e em 2015 constituímos a Associação pra promoção do Retorno das Árvores. Em 2016 alcançamos a qualificação de OSCIP e começamos a estruturar as parcerias e os campos demonstrativos.